A importância de um Briefing | André Buzzo
contato@andrebuzzo.com.br | (11) 9-8551-3500 | facebook | skype:andrebuzzowebdesign

A importância de um Briefing

Publicado na categoria Artigos com 9.591 visualizações e 23 comentários

Primeiramente, precisamos entender o que significa a palavra BRIEFING!

A importância de um Briefing - André Buzzo Webdesign

Briefing, na tradução literal do inglês para português, quer dizer INSTRUÇÕES. E, sendo assim, é sempre bom termos um montado quando visitarmos um potencial cliente, para que ele nos indique as INSTRUÇÕES ou os CAMINHOS para que possamos desenvolver um site que atenda não as necessidades do cliente, mas sim, a necessidade dos clientes do cliente. Entendeu?

Como eu sempre digo, e torno a dizer nesse artigo, sempre que desenvolvemos um projeto, nosso foco tem que ser o usuário final, e não o cliente. Precisamos sempre, da maneira mais eficaz possível, atingir nosso público alvo que pode, às vezes, ser bem diferente do nosso cliente.

Tomemos por exemplo o seguinte: uma loja de materiais de construção! O dono da loja pode andar de HILUX (não pude me conter ao lembrar-me dos “Pôneis Malditos”!), enquanto seu cliente anda com uma TL Variant Azul Calcinha ano 1964!

Usaremos no site, a mesma linguagem que usaremos com o cliente? Não. Pode até ser. Será? Teremos de ser mais curtos e grossos nas informações, e auxiliar o máximo possível o real público alvo do cliente.

Porém, precisamos de um briefing bem elaborado para saber qual é seu real público alvo. Quem mais freqüenta a loja? São os Mestres de Obra ou são os donos de terrenos em condomínio de luxo que vão até o estabelecimento, cotar produtos e depois mandam seus empregados até o mesmo retirar aquilo que escolheram? Qual linguagem deve ser utilizada? Qual tipo de layout temos que criar? Como será a disponibilização das informações no site?

Um briefing pode nos dar as INSTRUÇÕES e o CAMINHO a ser seguido! Eis o que acho de suma importância conter nesse questionário:

  • Dados do cliente (seja pessoa física ou jurídica ok?);
  • Breve histórico;
  • Público alvo;
  • Mensagem a ser transmitida pelo site;
  • Principais concorrentes;
  • O que diferencia o cliente dos concorrentes;
  • Pontos fortes e pontos fracos, na análise do cliente;
  • Extrair gostos e costumes do cliente.

Para que esse artigo não fique muito extenso, ele será dividido em três partes. Vamos então, dar início a análise dos questionamentos que faremos junto ao nosso futuro cliente:

DADOS DO CLIENTE

A importância de um Briefing - André Buzzo Webdesign

Nessa questão, é necessário que se pergunte e anote, logicamente, os dados de seu cliente: Nome, documentos (CNPJ, CPF, dentre outros!), o endereço, telefone para contato, e-mail utilizado para contato, quem é a pessoa que nos contactará quando necessário, seu nome, seu cargo ou função.

Vejo que isso é necessário pelo seguinte motivo: você pode procurar na internet se existem outros prestadores de serviço contentes ou não com os serviços que foram contratados pelo seu cliente! Você sabe se ele honra com seus pagamentos, se é uma pessoa/empresa/instituição com muitas reclamações vindas de diversos setores? Não. Está aí uma excelente oportunidade de pesquisa sobre seu futuro cliente. Ele, com certeza efetuou uma sobre você! Nada mais justo então, do que retribuir a pesquisa!

Se você mantêm algum contato com o designer que administra o site atualmente, peça informações, mas não acredite cegamente em suas palavras! Ele pode dizer que o mesmo não presta apenas por se sentir ameaçado em perder um serviço!

BREVE HISTÓRICO

A importância de um Briefing - André Buzzo Webdesign

Levantar um breve histórico sobre a empresa/pessoa/instituição é importante, pois aqui você iniciar o seu estudo de caso. Há quanto tempo se encontra no mercado, seus principais clientes e fornecedores (se for alguém que trabalha com cerveja, deve-se honrar pagamentos! Por curiosidade, para efetuar uma compra de cerveja em alguma fábrica, você primeiro paga a carga, e depois de compensado o pagamento, poderá retirar seus produtos!), se já mudou de um endereço para outro, e se positivo, o prédio foi maior ou menor, a localização melhorou ou piorou, se a empresa foi passada de pai para filho, dentre outros questionamentos que podem ser feitos!

Você terá em mãos um material interessante para poder escrever a página sobre a História ou um Quem Sou/Somos utilizando essas informações, e ainda, evitará novos contatos para perguntar as mesmas coisas que questionou ou se esqueceu de questionar! Não existe nada mais irritante do que um profissional despreparado em suas entrevistas!

Público Alvo

A importância de um Briefing - André Buzzo Webdesign

Essa é uma questão que deve ser considerada como a mais importante de todas, pois é nela que você baseará todo o seu projeto.
Seu layout, sua programação, seu conteúdo será baseado, SEMPRE, MAS SEMPRE no público alvo, que no nosso segmento de atividade, é também conhecido por usuário!

Creio eu que nessa questão, devem ser levantadas as seguintes informações:

  1. Idade média do público alvo;
  2. Grau de instrução;
  3. Tipo de leitura;
  4. Programas que costumam assistir na televisão;
  5. Se a maioria é masculina ou feminina;
  6. Estado civil: Casados, solteiros, divorciados ou viúvos(as);
  7. Faixa de renda do público alvo;
  8. São consumidores fieis ou não?

Agora, vamos analisar essas questões sobre o PÚBLICO ALVO:

– Idade média do público alvo

A importância de um Briefing - André Buzzo Webdesign

Engana-se você ao pensar que se o cliente trabalha com produtos infantis, quem compra são as crianças! São os pais! Portanto, a média de idade não pode ser 5 anos e sim, na base dos 25 aos 40 anos de idade. Podemos usar cores fortes e chamativas por se tratar de um setor específico, mas você não escreverá GUGU-DADÁ como título do site. A não ser que haja a necessidade para tanto.

Se o público alvo é idoso, ou da Melhor Idade, melhor dizendo, devemos nos atentar ao tamanho da fonte, à simplicidade do design, pois devemos ajudar esse público a encontrar a informação que deseja, já que historicamente, essa faixa etária não se dá bem com esse tipo de tecnologia. Precisamos também nos atentar à visão desse grupo, que pode não ser tão boa como antigamente, e a inserção de ferramentas para auxiliar o mesmo na leitura dos textos é fundamental!

– Grau de instrução

A importância de um Briefing - André Buzzo Webdesign

Esse ponto é importante porque define qual o estilo de texto iremos usar. Mais culto, mais coloquial, mais descolado.

Se o público tem idade média de 40 anos, não podemos escrever o texto como se estivéssemos conversando via MSN. Na realidade, acho que não é por conta do MSN ou qualquer outro tipo de programa que temos a liberdade de assassinar e esquartejar nossa língua pátria, mas se você o faz tudo bem. No MSN. No site do seu cliente, você precisa se atentar às concordâncias e regras gramaticais. Não sabe ou tem dificuldade em escrever, encontre alguém que saiba!

– Tipo de leitura

A importância de um Briefing - André Buzzo Webdesign

Sem querer fazer um jabá, mas já fazendo vamos lá: seu cliente lê o que? Jornais, livros, revistas?

Qual o tipo de linguagem esse meio de comunicação utiliza? No caso de uma revista, como a Contigo, por exemplo, o texto é curto e leve. No caso da revista Veja, o texto é mais longo e mais crítico.

Isso nos indica o tipo de texto que devemos produzir para inserir no site, e assim, dar ao usuário a experiência de que “continuo lendo no site o mesmo que minha revista/jornal/livro preferido!”.

– Programas que costumam assistir na televisão

A importância de um Briefing -  André Buzzo Webdesign

Não é bem o programa aqui que interessa. E sim o seu horário!

Sabemos que os comercias televisivos são diferenciados por hora, por conta de seu público alvo. Um carro de R$80.000,00 dificilmente passará às 10h da manhã, pois o consumidor desse tipo de produto não está em casa, assistindo televisão, a essa hora da manhã!

Da mesma maneira, comerciais sobre brinquedos! Sempre são veiculados na parte da manhã, pois é o horário que a criança está vendo seus desenhos e programas infantis.

Com esse tipo de informação, podemos definir um estilo de layout para o site, que visa atender ou remeter o usuário àqueles tipos de comerciais que está acostumado a ver. Padrões de cores, de tipo de mensagem sendo transmitida, dentre outros fatores que nos ajudam a trabalhar um layout mais agradável e mais chamativo ao nosso visitante.


Na próxima parte, vamos analisar o restante dos tópicos, dando assim, um tempo para que você pense e reflita sobre como está começando o seu trabalho junto ao cliente.

Se as informações que levanta com seu cliente são suficientes ou se está faltando algo para que obtenha maior sucesso com seu projeto, quando de sua publicação!

Forte abraço a todos, e até a próxima!

Voltar à página anterior!

  • Beatriz

    Adorei este artigo. Parabéns, André. Sucesso!!

    • Desculpe a demora! Estava de férias!

      Obrigado Beatriz!

      Abraços!

  • Pablo

    André, voce teria alguma referencia bibliográfica sobre Briefing? Estou fazendo um tese neste assunto. Obrigado!

    • Fala Pablo!

      Infelizmente não cara … não tenho nenhuma fonte para lhe informar!

      Abraços!

  • Aparecido Duarte

    Parabéns André… pelo trabalho… sucessooo…
    Paze Bem!!!
    Cido Duarte…

  • JOAO AUGUSTO

    E ai meu caro tudo joia? eu moro em Oliveira – MG vc conhece? rs
    é quanto a segunda parte do briefing parabens e muito obrigado por compartilhar o CONHECIMENTO…

    ABRAÇO E ATÉ… +

    • Fala João!!

      Conheço não cara….rsrs… você está muito longe daqui!!!

      E quanto a segunda parte, obrigado!!

      Abraços!

  • Jacson Leite

    Cara esse tópicos está muito, você está abordando de forma completa.
    Abraço!

    • Fala Jacson!!

      Valeu compadre!!!

      Já que vamos “tocar no assunto”, vamos fazê-lo de maneira completa né? rs .. ou pelo menos tentar fazê-lo assim….rs

      Abraços!

  • JOAO AUGUSTO

    E ai TUCO BELEZA ? Nossa cara quer dizer que você descobriu então sobre a batera hahahahah, olha eu toco sim e vc também gosta de fazer um som né? o que acha da gente fazer um som hein?rsrs
    UM GRANDE ABRAÇO E OBRIGADO PELA DICA…VALEU MESMO

    • kkkkkkkkkkkk …

      Descobri pelo email…… rs

      Depende véio..onde vc mora? rs

      Abraços!

  • JOAO AUGUSTO

    FALA ANDRÉ BELEZA CARA?
    OLHA TENHO UMA PERGUNTA PARECIDA COM A DA MARY MAIS É O SEGUINTE: ESTOU NO 6º PERIODO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO,GOSTO MUITO DO CURSO E CONCORDO TOTALMENTE COM VOCÊ QUE QUEM FAZ A DIFERENÇA É O ALUNO, BOM MAIS VAMOS LÁ A PERGUNTA:
    QUERIA SABER SUA OPINIÃO ENTRE WEB DEVELOPER E WEGDESIGN QUAL ENTRE AS DUAS SERIA MELHOR PARA ATUAR E QUAIS FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA APRENDER?

    OBRIGADO POR COMPARTILHAR SEUS CONHECIMENTOS, É DE GRANDE VALIA ……

    UM FORTE ABRAÇO CARA E ATÉ MAIS…

    • Fala João!! A resposta para sua pergunta está na sua própria pergunta!!! hahaha

      Seguinte compadre… normalmente, Webdeveloper é o “Desenvolvedor Web” … é o cara que vai programar o site, entendeu? WebDesigner, é o cara que vai dar a “cara” para o site… em outras palavras, é que vai criar a parte visual do sistema, entendeu?

      Qual das duas seria melhor atuar, fica por tua conta…se vc já trabalha com programação, acho que seria mais fácil ir para a programação, óbvio….rsrs

      Forte abraço e obrigado pela visita!!

      Tu toca bateria? rs

      Até!

  • Nathan Vieira

    Meu velho, post “ótimamente ótimo”!
    Acho que isso vai abrir muito a cabeça das pessoas em relação ao BRIEFING que o designer deve fazer ao seu cliente, dando uma visão mais ampla sobre como descobrir coisas para que o público alvo, se interesse cada vez mais com o conteúdo do mesmo, acho que vai ser de suma importância esses posts, e espero que ajude a todos como vai me ajudar!

    Abraços meu velho!

    • Fala Nathan!!

      Valeu meu velho!!

      Obrigado pelo comentário, e a intenção era essa mesmo!! Abrir os olhos para as informações importantes que um Briefing pode nos trazer, e que normalmente, desconsideramos!!

      Forte abraço!

      Até mais!

  • Mary

    Valeu Tuco pelas palavras !! Acho que tem razão, a gente ouve tanta coisa nesse mundo sobre mercado de trabalho que fica criando grilo na cabeça, achando que tem que fazer uma faculdade de primeira linha e tudo mais, acho que focar em um curso de inglês e outros cursos que agregam mais conhecimento, além é claro de uma faculdade fazem toda diferença.

    Como você mesmo diz na vida tudo é na base da tentativa e erro néh,
    muito obrigada e até mais .. valeu pelas dicas te acho muito f@#! mesmo
    sou tua fã cara valeu!!!!!!

    • Que isso Mary!! Bondade tua!!

      Precisando, estamos por aí!!!

      Abraços!

  • Mary

    Olá Tuco sou tua fã pela sua franqueza e bom humor, gostaria que me ajudasse pois estou numa dúvida cruel que está me matando..rs.. bom fiz um curso básico de Webdesigner e pretendo cursar uma faculdade mas, aí é que está minha dúvida não sei se faço Análise de Sistemas ou Sistemas para Internet, até comecei fazendo Análise e não gostei, não sei se foi por causa da metodologia de ensino da escola, porém o fato é que não sei se o curso Sistemas para Internet é bem reconhecido se tem mais oportunidades vou colocar no fim do comentário o link pra você dar uma olhada e dizer se está de acordo com o curso de Web que eu fiz enfim, como você já atua na área acho que pode me dá um help .

    Desde já agradeço pela atenção !!!

    http://www.sp.senac.br/jsp/default.jsp?newsID=DYNAMIC,oracle.br.dataservers.CourseDataServer,selectCourse&course=10600&template=1474.dwt&unit=NONE&testeira=723&loc=1

    • Fala Mary!!!

      Primeiramente, agradeço o contato e as palavras!! rs

      Em segundo lugar, deve ter ocorrido algum problema no site do Mx Masters, pois eu havia respondido esse seu questionamento lá, e não sei porque não foi publicado..rs

      Mas vamos lá!!

      Ponha uma coisa na sua cabeça ok? Em faculdade nenhuma você saíra uma “webmaster” em qualquer coisa.. eles vão te dar um direcionamento, mas quem fará a faculdade será você mesma, e esqueça de depender de professores!!! Não vou generalizar todos, mas grande parte fica devendo um pouco!

      Pelo menos na faculdade que cursei foi assim!

      Quanto à sua dúvida, você precisa separar o joio do trigo!

      Análise de Sistemas é TI (Tecnologia da Informação) e Sistemas para Internet, na real, não sei o que significa! O curso que eu fiz tinha o mesmo nome, mas nem um sistema de cadastro foi ensinado de acordo!! Portanto, rs, de sistemas mesmo não se aprende nada!

      O que você vai ter, creio eu nesse tipo de curso, é um direcionamento para tudo o que aprendeu no “cursinho” de webdesign que você fez! E verás que esse curso, pelo menos no meu caso, foi bem mais proveitoso do que a faculdade!

      Quanto às expectativas sobre o setor, posso lhe assegurar que há muito espaço para pessoas boas, mas o quão boa serás, dependerá única e exclusivamente de você e de sua força de vontade em aprender!!

      Grande abraço e até mais!!

      P.S – Não pude analisar o link pois o mesmo não está abrindo!! rs

    • Opa!!

      Agora abriu o link!!

      Interessante o curso sim viu!!

      Se puder, manda bala!!

      Eu faria!! hahahahaha

  • Natan Rocha

    massa demais esse artigo parabéns mais uma vez andré! cara naum sei se é o momento adequado mais quando vc ira postar a parte 3 da video aula de sistema de comentarios?

    ABRAÇOS…

    • Fala Natan!!!

      Cara..eu acho que consigo gravá-la hoje a noite…..

      Abraços!