CLIENTE: QUERO UMA LOJA VIRTUAL! VOCÊ: E AGORA? – PARTE 3 | André Buzzo
contato@andrebuzzo.com.br | (11) 9-8551-3500 | facebook | skype:andrebuzzowebdesign

CLIENTE: QUERO UMA LOJA VIRTUAL! VOCÊ: E AGORA? – PARTE 3

Publicado na categoria Artigos com 5.778 visualizações e 18 comentários

Bom, para terminar nossa série sobre o que compreende o início, sim, o início de um trabalho em uma Loja Virtual, eu vou apresentar alguns problemas que encontrei no desenvolvimento de uma. Ou melhor, na configuração de produtos e de layout de uma loja disponibilizada por terceiros.

Fui contratado há uns tempos atrás, para “dar uma cara” a uma Loja Virtual, fornecida por um terceiro. A plataforma era bem completa, no que diz respeito a funcionalidades, à integração com ferramentas de pagamento online, dentre outras opções que tornava ela bem robusta e completa. Em suma, uma plataforma proprietária formidável.

Em programação.

1º Problema enfrentado: O suporte

CLIENTE: QUERO UMA LOJA VIRTUAL!  VOCÊ: E AGORA? – PARTE 3 - André Buzzo Webdesign

O suporte era fantástico. Na programação. O que desse de problemas em relação a não exibição da grade de produtos, de informações, de preços,  o suporte me atendia prontamente!

Das 9h às 16h (Quero esse horário também!).

Eu tinha problemas constantes com a exibição de produtos, pois eu nunca havia mexido na loja e sendo assim, era uma rotina de “tentativa e erro” absurda e desgastante, e me desculpem, eu trabalho das 8h às 22h às vezes. Eu precisava de “suporte” e não tinha. E meu prazo, continuava correndo. Sabe aquela história que dizem que “não importa o quão magoado esteja, o mundo não vai parar até que você se recupere.”? Era bem por aí. O meu prazo não foi estipulado em “vou trabalhar das 9h às 16h, portanto vou entregar a loja em três anos!”. Até mesmo porque eu não sabia disso!

Ponto importante 01: Eu não sabia como funcionava o suporte!

2º Problema enfrentado: As imagens

CLIENTE: QUERO UMA LOJA VIRTUAL!  VOCÊ: E AGORA? – PARTE 3 - André Buzzo Webdesign

O cliente havia me pedido para inserir um número aproximado de 150 produtos. Meu orçamento foi para 150 produtos, e se houvessem aumentos, seria cobrado à parte, pois foi bem conversado anteriormente. Quanto a isso, problema nenhum!

O problema foi que a loja funcionava assim: Eu tinha três imagens distintas por produtos. Sério.

Quem tem uma experiência um pouco maior no desenvolvimento web, sabe que, para serem exibidas as páginas com imagens iguais, DE DIMENSÕES DIFERENTES, não é necessário inserir três imagens em tamanhos diferentes. Podemos definir seu tamanho utilizando o atributo width na tag de imagem do HTML.

Mas, segundo o suporte, eles pediam as imagens em tamanhos diferentes, para que não “demorassem no processo de carregamento” para o cliente.

Interessante ponto de vista. Porém, como funcionava o sistema: eu tinha uma imagem com 600px de largura, chamada de “principal”, outra com 450px de largura chamada de “detalhe” e outra com 100px, chamada de “miniatura”. E todas as imagens ainda por cima tinha que obedecer a um número imposto de bytes, pois senão era passível de retornar um erro, dizendo que a imagem era maior do que permitido.

Moral da história: eu precisava pegar, produto por produto, dimensioná-la por três vezes, salvá-la em minha máquina com três nomes diferentes, e “upar” cada uma em seu respectivo campo, para que o sistema apresentasse cada uma delas em sua devida página.

Ok, 150 produtos.

150 produtos x 3 imagens para produtos.

Total de imagens: 450 imagens, para 150 produtos.

Ponto importante 02: Eu não sabia como funcionava o cadastramento de imagens no sistema!

3º Problema enfrentado: A lógica

CLIENTE: QUERO UMA LOJA VIRTUAL!  VOCÊ: E AGORA? – PARTE 3 - André Buzzo Webdesign

Depois de ao invés de apanhar para tratar 150 imagens, apanhar para tratar 450 delas, eu precisava colocar as imagens de acordo na página. Eu gosto de serviço bem feito, e tenho meu senso de estética particular. Pode não agradar a todos, mas quero que agrade meu cliente, e isso sendo realizado, me dou por satisfeito.

Sendo assim, lá vamos nós mexer com o CSS e o HTML, mais o JavaScript que influenciava em algumas funcionalidades do sistema.

E para minha grande surpresa, o que acontecia? Eu consegui acesso ao “código fonte” do site, sendo eles o arquivo CSS e os “módulos” em HTML nos quais eu precisava mexer. Dessa maneira, eu fui tentando, novamente à base de “tentativa e erro”, inserir as imagens de acordo com uma grade lógica que a página não imprimia nem com reza brava.

Mexi no HTML. Mexi no CSS. Mexi no CSS e no HTML. Mexi no HTML e no CSS. Aí parti para o JavaScript. Mexi no JavaScritp e no HTML. No HTML, no CSS e no Javascript.

Tudo o que eu tentava não dava certo, pois em algum lugar do código, havia alguma coisa que não deixava uma classe assumir seu comportamento por conta de um id, e o mesmo id estava implícito dentro de um dos módulos asp da loja, o qual por sinal, eu não tinha acesso!

E quando eu entrava em contato com o “suporte”, ouvia o seguinte: “O senhor é o webdesigner né? Então, nesse caso, eu só posso auxiliá-lo no que diz respeito à programação da loja, sendo a parte visual, de sua responsabilidade, e não minha”.

Que beleza!

Em contrapartida, eu dizia que até concordava, mas dizia também que, eu precisava entender a lógica com qual a loja foi feita para tentar aplicar a minha! E isso sim, era problema deles!

E novamente, eu ouvia a mesma resposta: “design é por sua conta e risco”.

Ponto importante 03: Eu não sabia e creio que nunca irei saber o que se passa pela cabeça de outro profissional web.

4º Problema enfrentado: A validação do código

CLIENTE: QUERO UMA LOJA VIRTUAL!  VOCÊ: E AGORA? – PARTE 3 - André Buzzo Webdesign

Por final, eu batendo boca com o cara do suporte, o cara do suporte dizendo que aquilo não era responsabilidade dele, e meu cliente cobrando resultados, eu resolvi “apelar”.

Acessei a página pelo Firefox, e no Developer Tool, pedi para validar o HTML e CSS. E eis, que para minha surpresa, encontrei 361 erros de marcação apenas na Index.

Quando digo que resolvi apelar, eu criei o HTML e o CSS da página, como eu pretendia que fossem exibidos os produtos. Uma linha com 4 produtos, sendo o quinto produto jogado na linha abaixo, seguindo sempre uma cadeia lógica de 4 produtos por linha. Como uma tabela, mas utilizando lista para efetuar tal ação. E como estava tentando trabalhar com um layout “elástico”, se a resolução do monitor fosse maior, seriam apresentados 5 produtos por linha, 6 por linha, assim por diante.

E minha página funcionou.  A da loja não.

Passei isso para meu cliente, e a empresa quando questionada sobre os 361 erros de marcação que ocorriam, não sei como, bloqueou a validação.

Se alguém tiver a curiosidade, acesse o endereço http://validator.w3.org/ e digite no seu campo de URL para validar, o endereço da UOL. A mensagem que seguiu, após os erros: “Sorry! This document can not be checked”.

Simples assim. Ao invés de arrumarem para oferecer algo melhor, resolveram “empurrar a sujeira para debaixo do tapete”. Legal né?

E, dessa maneira, chegamos à conclusão de que meu cliente deveria procurar alguém “capacitado” para trabalhar com a loja, e que “meu perfil” não era o de trabalho com comércio eletrônico.

Sinceramente, eu não me chateio com isso, e nem me chatearei. Sabe por quê?

Porque eu provei por “a+b” que o problema não é meu. Eu fiz o troço funcionar. Se eu não consigo o mesmo com uma plataforma fornecida por terceiros, eu só posso dizer: realmente, eu não entendi a lógica ou como funcionam as coisas dentro da mesma.

Isso me “incapacita” de exercer a profissão ou o atender ao segmento? Creio eu que não.

Mas, isso me fez pensar um pouco mais antes de aceitar algum trabalho no mesmo segmento. Fui consultado por outro cliente, do ramo farmacêutico, que queria implementar algumas funcionalidades dentro da loja virtual dele.

Primeira coisa que fiz, foi validar o código HTML. Constavam 481 erros de marcação. Minha resposta foi um simples e direto “Não, não faço”.

Meu cliente fica contente comigo porque não o “enrolo”, e eu fico tranquilo por não assumir uma dor de cabeça descomunal. Fica bom para ambos os lados.

Ponto importante 04: Se for para trabalhar com algo já entregue por terceiros, avalie o mesmo. De todas as maneiras que imaginar.

Conclusão

CLIENTE: QUERO UMA LOJA VIRTUAL!  VOCÊ: E AGORA? – PARTE 3 - André Buzzo Webdesign

Espero que essa série tenha sido de grande ajuda a todos os iniciantes, e até a quem não é iniciante, mas pretende vez ou outra, assumir uma loja para gerenciar, ou estilizar. Fique espero porque a coisa não é fácil, e depende, e muito, de certa experiência.

Forte abraço a todos e fiquem com Deus!

Até a próxima!

PS: Aceito sugestões de artigos para escrever ok? Quero ouvir um pouco de vocês também, já que sempre são vocês que me ouvem.

Voltar à página anterior!

  • Moisés

    André bom dia! o motivo da minha pergunta é o seguinte? contratei um serviço de web designer para E-comerce e foi para migrar tanto os produtos quanto os meus clientes de uma plataforma para outra já se passaram quase 2 meses e ele ainda não me entregou o trabalho isso é normal ??? agradeço se puder me responder neste email mothelucci@gmail.com e muito obrigado!!

    • Fala Móises.

      Cara, aí você me coloca numa situação complicada! Como eu posso responder por outro profissional?

      Não sei quantos produtos tem na sua loja e nem a quantidade de clientes. Então, eu não posso pensar que tenho conhecimento suficiente para comentar os trabalhos de terceiros.

      Concorda comigo meu amigo?

      Abraços e até mais!

  • Carolina

    Oiii André! Tudo bem sim e com você? kkkkk

    Então, é que esse iluria é mais voltado p. artesão, moda, acessórios fofinhos e assim por diante. Não é nada grandioso e tal, mas confesso que achei o painel gerenciável muito bom (crie depois uma conta experimental de 15 dias grátis lá p. você ver kkkkk)

    Tanto o OpenCart e o Magento, precisam manjar de programação? Eles já tem layout pronto e podemos personalizar eles da forma que quisermos?
    Sei que ambos já tem um esqueleto pronto e tal. Enfim, obrigada por me mostrar mais algumas opções. Vou estuda-las melhor depois, quem sabe rs

    E que isso, imagina hahahahaha Só sou direta e sincera, poxa kkkkk
    Obrigadão ai, André! Com certeza ajudou sim!

    Beijo! e sucesso, cara! (:

    • Ooooooooooopa Carolina! Eu nem sabia que dava para criar conta na plataforma! Mas confesso que eu gostei e tô até pensando em comprar uns posteres de uma loja lá! rs

      Verei o painel com certeza! Em relação ao OpenCart e o Magento, não é necessário manjar de programação não. A não ser que queria “efetuar” altas transformações na plataforma. Mas para os layouts já pré-programados, apena o painel já é show de bola! Tem até controle de estoque a criança (no caso da OpenCart!)

      Sucesso procê também mulher!

      Até mais!

  • Carolina

    Olá, André!

    Sou designer formada e no início do ano trabalhei com vendas. De uns tempos para cá venho me interessando cada vez nessa área de vendas e tentando juntar o design com e-commerce. Portanto eu não manjo NADA de programação kkkkkk E sei que existem uns sites já prontos para você montar sua loja virtual e utilizar o sistema deles como: http://www.iluria.com.br
    Quais outros você recomendaria? Se é que você recomendaria algum rs Pois sei que esses sistemas apresentam bugs e tal. Mas no caso, como faço freelancer, estou começando com pequenas lojas, com pouca mercadoria e também estou prestando esse serviço de consultora, suporte, auxiliar, designer, estoquista entre outros kkkkkkkkkk

    Seus artigos me ajudaram muito, pois eu tive que me virar sozinha para criar um planejamento desde o zero meeeeesmo, onde meu cliente não tinha nem noção de quantos produtos ele tinha na época kkkkk Então tive que organizar TUDO praticamente junto com ele, claro. Mas mesmo assim, você conseguiu ressaltar algumas coisas que nem tinham passado pela minha cabeça kkkkkkkkk

    Muito obrigada e aguardo uma resposta :D

    • Olá Carolina, tudo bem contigo?

      Olha…para ser bem sincero, eu não conhecia o site que você indicou. Não sei como é o painel gerenciável dele … dessa maneira, eu não posso me “adentrar” muito no assunto.

      Tenho amigos que se acostumaram a trabalhar com o OpenCart e com o Magento. Uns dizem que o OpenCart é “feio” mas leve, enquanto outros dizem que o Magento é “bonito” e pesado. Acho que aí vai bastante da pessoa que irá utilizar a plataforma ver se irá ou não se adaptar. Eu por exemplo, gosto do WordPress e não do Joomla.

      Como digo no artigo, eu não fecho muitas lojas porque, depois de apresentar TODOS os pormenores ao cliente, parece que eu desanimo o próprio. Sendo assim…rs

      Eu particularmente ofereço o OpenCart. Gosto do painel e das possibilidades que ele me fornece. Deixo claro ao cliente também, que o layout é meio engessado e não posso fazer muitas estripulias nele. Se o cliente deseja um layout mais aprimorado, bem ajambrado, eu posso cotar o valor em “doletas” o, caso haja o interesse, o cliente compra e eu apenas instalo.

      Obrigado por sua mensagem. Legal bater papo com pessoas que já “chegam chegando” e dizendo que “não manjam nada de programação” …hahahahaha

      Espero ter ajudado em algo!

      Abraços!

  • Gleison José Belinki

    me esqueci do principal!

    Parabéns essa sua atitude sim mostra o Profissional que você é!
    Grande André!

    um abraço, aguardo seu livro..

    • Fala Gleison!

      Obrigado meu amigo … obrigado mesmo …

  • Gleison José Belinki

    RAPAZ,

    Novamente sou eu lendo seus artigos, cara realmente já passei por uma dessa com um site,
    que peguei para dar uma ajustada, trocar layout, da uma optimizada para Meta tags, Google…
    peguei o trabalho porque já tinha trabalhado com a pessoa que construiu o sistema a uns 3 anos atrás… rapaz eu pensei que um desenvolvedor poderia melhorar seu código, mas não piorar….
    cara o site todo feito com tabelas… bem lá fui eu… tentar aplicar um CSS pra resolver… meu nesse processo ja estava usando Dreamweaver, Notepad++, Netbeans… nesse tempo que fiquei afastado do trabalho desse cara fui fazer minha faculdade, aprender POO(Programação Orientada a Objetos) Java… sinceramente quando estava quase terminando descobria mais uma coisa absurda…. cara realmente uma merda quanto mais eu mexia mas fedia…. mas não me dei por vencido. o cliente ficou satisfeito, mas eu não! (era um site de imobiliária)

    APRENDI! não pego mais nada de ninguém!
    se for pra apanhar tem q ser pelo menos um sistema Open Source como um OS-Comerce, Joomla ou WordPress aí vale apena tem gente pra discutir sobre…

    um grande abraço,

  • Jacson Leite

    é código no site da w3c.org, e não códicom no site da… rsrsrsrsrsrsrsrs.

    • Fala Jacson!

      Ás vezes, é isso mesmo… compensa mais fazer um novo site do que trabalhar nesse que está totalmente fora da realidade…

      Abraços meu velho!

  • Jacson Leite

    rsrsrs… agora a dica é:
    Validar o códicom na w3c.org e depois dizer ao cliente que sai mais barato fazer um do zero.

  • Jacson Leite

    Sacanagem!
    Bloquear a validação, gostei da dica de validar o código antes de dar a resposta (que garalmente é não).

    Abraço.

    • Totalmente sacanagem Jacson…rsrs

      Abraços meu velho!

  • Junior Eberhardt

    kkkk, brincadeira, bloquearam a validação, isso que é responsabilidade e compromisso com o cliente…

    muito bom o artigo André, parabéns.

    • Fala Junior!

      Sim meu amigo. Bloquearam a validação e eu perdi qualquer argumento que eu pudesse usar.

      Mas, como eu disse, minha consciência está super tranquila em relação ao ocorrido.

      Abraços meu amigo!

  • ola andré, como sempre tudo ok com o artigo, o legal mesmo é nao enrolar o cliente, exponha a ele os problemas, vc nao vai ganhar, mas tambem nao vai perder um futuro cliente.

    Quero que você fale um pouco sobre planejamento do desenvolvimento, como saber falar pro cliente: “FAÇO EM X DIAS”, essas coisas sabe?

    obrigado e até a prox.

    • Fala Matheus!!

      É isso cara…precisamos sempre jogar limpo. É melhor para ambos os lados. Sempre.

      E quanto ao seu pedido, realmente, é um assunto interessante!

      Abraços!