Mini Curso: sou iniciante em web design. O que preciso saber? parte 03 | André Buzzo
contato@andrebuzzo.com.br | (11) 9-8551-3500 | facebook | skype:andrebuzzowebdesign

Mini Curso: sou iniciante em web design. O que preciso saber? parte 03

Publicado na categoria Artigos, Mini Curso com 5.683 visualizações e 6 comentários

Continuando nosso Mini Curso, vamos falar agora sobre um assunto que muita gente acha “simples”, “fácil”, e que não precisam de um certo conhecimento sobre inúmeras nuances no que diz respeito a criação de uma Logomarca, Logotipo,  Logo ou Marca. Afinal de contas, isso tanto faz! Se você já não sabe a diferença entre uma coisa e outra, porque você insiste em “desenvolver” uma arte para seu cliente?

Afinal de contas, o que é isso?

Não sabe a diferença entre uma coisa e outra? Vamos lá então.

Segundo o blog EX Vertebrum (http://exvertebrum.wordpress.com/2008/09/17/a-diferenca-entre-marca-e-logotipo-ou-a-diferenca-entre-marketing-e-design/):

“O que é um logotipo

Um logotipo é composto por partes distintas: o símbolo e a tipografia, que juntos compõe o logotipo em si. O logotipo é o nome fantasia da empresa e pode ser inclusive registrado via INPI. O INPI chama isso de registro de marca, mas na verdade é registrado o logotipo e não a marca.

O símbolo é uma ilustração que visa representar graficamente um conceito, dando um significado ao logotipo. Juntos símbolo e logotipo compõe a marca (ou a representação gráfica da marca).

O logotipo é desenvolvido dentro dos domínios do Design Gráfico, baseado em informações de público-alvo, mercado de atuação, objetivos estratégicos e conceitos definidos para a marca.

A marca é este conjunto único, compreendido pelo símbolo, logotipo e cores. Ela é o principal elemento da identidade visual da empresa e deve ser aplicada dentro das especificações apresentadas num Manual de Identidade Visual, obedecendo todas as relações de proporções entre seus elementos e formas de aplicação pré-definidas, que visam manter sempre a mesma identificação visual, independente do contexto gráfico em que a marca esteja inserida.

logos

O que é uma marca

Na visão do marketing, a marca vai além da sua própria representação gráfica. A marca é uma essência, um conceito que é representado por cores, símbolos, logotipo, emoções e experiências que são levadas ao mercado através de produtos ou serviços.

Neste sentido mais amplo, o logotipo é apenas uma parte da marca. O símbolo da Nike não é a marca em si, mas representa os conceitos de esportividade que a Nike quer associar à sua marca. A maçã da Apple não é a marca em si, mas representa os conceitos de inovação e alta tecnologia que a Apple associa a si mesma.

Logomarca

A confusão nasce quando se cruzam os conceitos de marca e logotipo. É muito comum ouvir a palavra “logomarca” ao invés de logotipo. Logomarca é um neologismo que gera uma confusão razoável, principalmente quando designers mais xiitas se irritam com a expressão, que de fato não existe.

Quando se adota a perspectiva do marketing, a mesma reação xiita ocorre ao se confundir marca e logotipo. Para o cliente, o que importa no final das contas é que a experiência seja significativa e memorável!”.

Fonte: http://exvertebrum.wordpress.com/2008/09/17/a-diferenca-entre-marca-e-logotipo-ou-a-diferenca-entre-marketing-e-design/

Entendeu porque muita gente não entende o que está fazendo? É bom começar a se atentar.

Agora vem a parte “pessoal” do artigo. Mediante tudo isso que foi dito, a gente pode ter uma noção do QUE É uma coisa ou outra. Mas isso não nos mostra outras diversas questões que devem ser respondidas na criação de um Logotipo.

Uma pausa para uma contribuição do Rodrigo Portillo sobre o assunto:

“O termo correto da composição do Logotipo + Símbolo ou sua conceituação (quando só há um logotipo, sem símbolo) chamamos de Identidade Visual. O logotipo é a forma como usamos a tipografia para exibir a marca. Por exemplo, a tipografia da Microsoft é Arial e o logotipo é o resultado modificado para a marca.

Ainda, academicamente falando, onde você usa o termo Identidade Visual, você está se referindo a Identidade Corporativa (que é todo ambiente em torno). É normal confundir a Identidade Visual como todo o relativo a imagem, mas não necessariamente. Por isso referimos como Manual de Utilização da Identidade Visual.

Por fim a marca é um pouco além disso, a marca envolve todo o conceito de branding e é desde o nome, utilização, conceituação de toda a identidade corporativa.”

Coisas que você nunca deve fazer ao criar um Logotipo

São inúmeras, mas vou apresentar algumas imagens aqui, do mesmo contexto, mas de formas diferentes. Vejo isso muito em sites de pessoas que às vezes me contactam pedindo opinião, ou apenas exibindo suas obras. Algumas de arte. Outras, também!

Alguns dos erros mais graves que eu encontro por aí!

Programa errado na hora de criar

Por favor, não use Photoshop para criar seu logotipo. Não faça isso, pelo amor de Deus. O PS é um excelente programa para EDITAR IMAGENS. Não quero saber se você é excelente no PS e aprendeu tudo o que sabe em tutoriais na web. O programa não é o mais recomendado. Muito menos o Fireworks (que particularmente adoro!).

Use o Corel (sim, odeio o Corel, mas ele ainda é uma das melhores opções) na hora de criar uma arte que possa ser vendida como logotipo. As razões são inúmeras:

  • Trabalha nativamente no sistema CMYK de cores;
  • Trabalha com vetores;
  • A maioria das gráficas trabalham e aceitam arquivos salvos nas últimas versões do programa (entenda: arquivo criado na Versão 12 não abre na 11, mas arquivos criados na 11 abrem normalmente na versão 12!)

Ah, mas eu não posso criar minha arte no Illustrator? Pode sim. Mas deverá salvá-la de uma maneira que em qualquer lugar ela possa ser aberta e editada, se for o caso.

Diferentemente da maioria, as gráficas COMPRAM e não pirateiam seus softwares. Dessa maneira, o Corel é primordialmente o programa padrão das gráficas. Poucas gráficas investem no Illustrator.

Há de se levar em consideração o preço do programa e, ainda, treinamento de pessoal. E sim, o Corel, por estar a mais tempo no mercado (embora eu ache que meio parado no tempo, perto do Illustrator) ainda é mais fácil em se trabalhar.

Quando você utiliza o Photoshop para criar seu logo, você precisa se atentar ao padrão de cores das imagens. Enviar um arquivo em RGB para ser impresso em CMYK é perder dinheiro na certa. Quer um exemplo? Veja a imagem abaixo:

logosPadroes

Em tempo: a maior parte das gráficas não está nem aí se você mandou ou não o arquivo nos padrões corretos de cores. Caso envie um arquivo salvo em RGB para ser impresso em CMYK, pode botar o prejuízo na sua conta. Ele virá. Sem dó ou piedade.

Portanto, imagine você enviando uma arte para a gráfica e pedindo a impressão de 5.000 folders. Aí, ao invés de sair o Azul padrão CMYK que você precisa que saia, sai o azul padrão RGB. Quem paga a conta?

#FicaADica: atente-se sempre no padrão de cores e esquema de impressão para gráficas! Material impresso é diferente de material digital!

Aproveitando o gancho…

Já que estamos falando sobre material impresso X material digital, outra coisa que vejo são os iniciantes (e outros nem tanto assim!) pensando DEMASIADAMENTE pequeno. O cara vai montar um site para iniciar seus trabalhos de “designer” e, resolve aplicar todas suas virtudes no Photoshop (sim, está fazendo errado, de maneira errada!) na hora de criar seu logotipo para seu site. E normalmente, publica algo assim:

errosComuns

Aí, como somos bem chatos, vamos enumerando os erros encontrados na “arte”:

Erros de português: a fonte escolhida pelo designer não tem acentos, e ele resolve usar desse jeito mesmo. Isso QUANDO ele descobre que não tem acentos!

Uso de cores: Azul e vermelho pode até combinar para uniformes de time de futebol. Agora, aplicar essa combinação em projetos visuais é dar tiro no pé. Nos dois. De escopeta ainda por cima. Eu estou escrevendo o artigo e confesso que esse vermelho parece me encher de murro nos olhos. Agora, imagina a “Máquina de Sites” que isso vai gerar!

Escolha da fonte: Procure usar fontes mais “suaves” e que transmita seriedade. Uma fonte com a exemplificada não inspira confiança. Parece algo escolhido porque “ai, eu sou rebelde” …

Efeitos no logotipo: Ok, imagine a hora que você for “bordar” o seu uniforme. Pare de pensar pequeno! Espero que sim, você consiga muitos trabalhos para ter que fazer um uniforme para você e se profissionalizar. Mas se você não almejar e não botar fé que isso acontecerá um dia, porque está se aventurando nesse mundo?

Aqui está o que chamo de “pensar demasiadamente pequeno”

Se você usa sombra, efeitos de chanfro, não aplica o mínimo de teoria de cores, não sabe qual o seu público-alvo, qual a mensagem deve passar … não pode esperar ser levado tão a sério.

Mas se você não tem dinheiro para pedir para alguém desenvolver isso para você – e eu juro que entendo essa situação – procure pesquisar na web sobre O QUE e COMO FAZER.

Pense que você pode hoje não ter condições de ter um logotipo profissional, mas você pode fazer algo que seja agradável para as pessoas que irão chegar até você!

Pense que, QUANDO (e não SE!) der certo, você precisará bordar um uniforme. Precisará imprimir algo para expor seus serviços. E você vai querer passar um bordado com uma fonte que sabe lá Deus onde você achou? Você acha que a empresa que vai bordar tem em seu programa todas as fontes disponíveis no mercado?

E você vai apresentar um trabalho amador e cheio de cores irritantes para seu cliente?

PARE DE PENSAR PEQUENO e se atente ao seu futuro. É SEU futuro.

Use o programa correto, não use cores berrantes, não use fontes que não tem acentuação, não aplique efeitos em logotipos, tenha o mínimo de bom senso profissional e estético. Um dia você precisará criar peças sérias e não conseguirá! E a culpa será toda sua.

Outras coisas a serem consideradas

Existem ainda diversas outras coisas que devem ser consideradas na hora de se criar um logotipo. Confira alguns sites com informações bem legais para lhe auxiliar e inspirar:

http://www.cleek.com.br/blog/design/logotipos-criativos-e-as-teorias-da-gestalt

http://www.criatives.com.br/2012/03/31-logotipos-criativos-com-gestalt/

http://www.imageandart.com/tutoriales/teoria/tipos_logotipos/

Lembrando também que existe o site “Brands of the World” que é quase um “template monster”; porém, voltados aos logos.

Forte abraço e espero que esse conteúdo lhe auxilie a tomar decisões mais acertadas no futuro!

Na próxima parte do nosso Mini Curso, falaremos sobre:

  • Cores, fontes e layout;
  • Espaço em branco é bom e eu gosto.

Até lá!

Voltar à página anterior!

  • vinicius

    Show de bola, estou acompanhando todos post, conteúdo bacana e de simples entendimento.

    Abraçoss

    • Fala Vinícius!

      Cara…essa é a intenção!! rs

      Abraços!

  • Rudnei

    Cara, demais esse post muito esclarecedor a parte do “azul e vermelho” eu já cometi esse erro e vc me ajudou kkkkk Parabéns André!

  • Só uma observação:

    O termo correto da composição do Logotipo + Símbolo ou sua conceituação (quando só há um logotipo, sem símbolo) chamamos de Identidade Visual. O logotipo é a forma como usamos a tipografia para exibir a marca. Por exemplo, a tipografia da Microsoft é Arial e o logotipo é o resultado modificado para a marca.

    Ainda, academicamente falando, onde você usa o termo Identidade Visual, você está se referindo a Identidade Corporativa (que é todo ambiente em torno). É normal confundir a Identidade Visual como todo o relativo a imagem, mas não necessariamente. Por isso referimos como Manual de Utilização da Identidade Visual.

    Por fim a marca é um pouco além disso, a marca envolve todo o conceito de branding e é desde o nome, utilização, conceituação de toda a identidade corporativa.

    No demais, valeu pelo post!

    • Opa! Fala Rodrigo!

      Cara…obrigado pelo complemente e porque não, esclarecimento! Vai no meio do post para agregar, com seu devido crédito!

      Obrigado e fique a vontade em sempre comentar e apontar erros ou falhas!

      Forte abraço meu velho!

      Até mais!